Afirmações como as que apresentamos de seguida, são muito comuns na nossa consulta. Se eventualmente se identifica com alguma delas, fique sabendo que podemos dar-lhe solução.

 

  • Os meus dentes superiores sobressaem demasiado.

  • Faltam-me dentes mas não tenho espaço para colocar implantes dentários. 

  • Vêm-se espaços entre os dentes.

  • Os meus caninos estão muito para cima.

  • Ao meu filho mais novo os dentes não "saem". 

  • Mostro demasiado a gengiva quando sorrio.

  • Dizem-me que  a minha cara está "torta". 

  • Tenho a mandibula muito grande

 

Perguntas frequentes:

1- Em que idade se deve fazer um tratamento Ortodôntico? 
2- Quais são os benefícios da Ortodontia?
3- Os Aparelhos Ortodônticos prejudicam os dentes? 
4- O tratamento é doloroso?
5- Qual o primeiro passo de todo o tratamento?
6- É necessária a presença dos pais em todas as visitas?
7- É importante a cooperação do paciente?
8- Poderei seguir com a minha vida quotidiana? 
9- O resultado é estável?

 

1- Em que idade se deve fazer um tratamento Ortodôntico? 

A idade mais adequada para realizar uma primeira visita de avaliação e prevenir problemas dento-faciais é a idade dos 7 anos, quando começam a erupcionar os primeiros dentes definitivos. A deteção precoce de alterações dentárias facilita a sua correção e proporciona resultados melhores com menor esforço. Por isso, recomendamos realizar uma visita ao especialista em Ortodontia nesta idades, mesmo que pense que o desenvolvimento dento-facial seja normal. Nestas idades, damos preferência  a longos periodos de observação e intervenções curtas ( quando necessárias).
Embora aos 7 anos seja a melhor idade para um primeira visita à nossa consulta, esta pode anticipar-se perante os seguintes sinais de alarme:

 

  • Dificuldade a mastigar

  • Respiração pela boca

  • Palato ogival

  • Sucção do dedo pulgar

  • Desvio da boca ao fechar

  • Separação ou apinhamento dos dentes

  • Mandíbulas que fazem ruídos ao abrir ou encerrar

  • Dentes que não fecham, que estão saídos

  • Dentes superiores que não fecham à frente dos inferiores.

  • O tratamento preventivo deve fazer-se o quanto antes, os pacientes nunca devem decidir por si próprios, mas antes deixar essa responsabilidade nas mãos do especialista em Ortodontia. Ainda assim, nunca é tarde para realizar-se um tratamento, em qualquer idade é possivel levá-lo a cabo. 

 

2- Quais são os beneficios da Ortodontia?

 

Uma vez finalizado o tratamento, perceberemos grandes benefícios, tanto a nível estético como funcional, tais como:

-  Melhorias na higiene oral, na prevenção de cáries dentárias e na doença periodontal (doença das gengivas)
-  Prevenção dos desgastes anormais nos dentes
-  Alcançar uma correta função melhorando a digestão dos alimentos e prevenir problemas na articulação tempero-mandibular.
- Evitar a sobrecarga muscular e eliminar certas dores de cabeça e pescoço. 

 

3-  Os Aparelhos Ortodônticos prejudicam os dentes?

 

Pelo contrário, os aparelhos são o instrumento com o qual contamos para corrigir a maloclusão. Graças a sua acção é possivel melhorar, não só o estado dos dentes, mas também o das gengivas e ossos maxilares. O que sucede é que existem aparelhos que favorecem a retenção de alimentos, requerendo assim um cuidado redobrado na  limpeza dos dentes. 

 

4- O tratamento é doloroso?

 

Em termos gerais, o tratamento é completamente indolor. Contudo, durante os primeros dias o uso dos aparelhos pode produzir algum incómodo (e desconforto), na consulta ensinamos como reduzi-lo.  Uma vez habituado ao aparelho, não sentirá nenhuma sensação desagradavel.
As forças que se exercem sobre os dentes para conseguir o seu movimento controlado são muito suaves. 

 

5- Qual o primeiro passo de todo o tratamento?

 

O primeiro que fazemos será examinar atentamente a maloclusão e estudar os antecedentes do paciente. Fazem-se impressões dos dentes para obter os modelos em gesso, fotografias da face e radiografias especiais, com o objetivo de diagnosticar a natureza da maloclusão. Como não existem duas maloclusões iguais, o plano de tratamento deve adaptar-se a cada paciente em particular.

 

6- É necessária a presença dos pais em todas as visitas?

 

Os pais devem estar presentes nas primeiras visitas, quando se fazem as explorações clínicas e se estabelecem os planos de tratamento, duração, honorários, etc. Grande parte do êxito final depende da cooperação da criança e dos seus pais; é importante, pois, que os pais saibam o que se espera deles e da criança para obtermos os melhores resultados possíveis. À parte disto, não há necesidade de que acompanhem o paciente em todas as visitas que exige o tratamento, embora seja aconselhado que de vez em quando o façam para comprovarem o progresso do tratamento. Sempre que surja alguma questão do nosso lado entraremos em contacto.

 

7-  É importante a cooperação do paciente?

 

Uma das chaves para o sucesso do tratamento Ortodontia é a cooperacção do paciente em cumprir não só as instruções sobre o correcto uso dos aparelhos bem como as de higiene oral. Para isso, os cuidados de higiene oral ser-lhe-ão explicados de modo a limpar corretamente os seus dentes.

 

8- Poderei seguir com a minha vida quotidiana? 

 

Claro que sim! O tratamento de ortodontia está planeado para poder ser tolerado por todas as pessoas com uma vida activa normal. Os aparelhos não mudam a pronunciação nem a vocalização porque estão colados na parte exterior dos dentes como tal não tocam na lingual. Nos aparelhos Linguais tal pode acontecer na fase inicial de habituação, contudo tende a desaparecer. Tanto a vida pessoal  como profissional, não ficarão afetadas por este processo.

 

9- O resultado é estável?

 

A Ortodontia é uma ciência, que como todas as outras evoluiu a passos largos nos últimos anos. Estes avanços,   proporcionaram-nos uma maior precisão no diagnóstico e na aparatologia. Neste sentido, os brackets que utilizamos atualmente, são de alta tecnología, muito mais avançados e precisos que há alguns anos, o que permite conseguir resultados excelentes e estavéis no tempo. 
Ainda assim, uma vez finalizado o tratamento,  é necessário manter a posição dos dentes para que não tendam à sua posição inicial. Para isso existem soluções à altura das nossas expectativas: 
             1. Os aparelhos removíveis: (de pôr e tirar) podem ter indicação para alguns pacientes no fim do tratamento. Utilizam-se durante o sono para não interferir com a vida diária.
          2. A contenção fixa: colada por de trás dos dentes, ajuda a manter os dentes anteriores estáveis na sua nova posição; não se vêm nem se notam e  requerem uma manutenção mínima. 

© 2014 by Marcus Veiga