Crianças - Tratamento Precoce

Qual é a melhor altura para começar o tratamento Ortodôntico?

 

Apesar de um Ortodontista poder melhorar um sorriso em qualquer idade, existe um momento ideal para iniciar o tratamento.

 

A Sociedade Portuguesa de Ortopedia Dento-facial recomenda que a primeira avaliação ortodôntica deve ocorrer no primeiro sinal de problemas ortodônticos ou por volta dos 7 anos de idade. Nessa idade precoce o tratamento ortodôntico pode não ser necessário mas o exame atento pode antecipar o momento mais vantajoso para começar o tratamento.

 

Quais são os benefícios de uma avaliação ortodôntica precoce?

 

A avaliação precoce permite a detecção oportuna dos problemas e uma maior oportunidade para um tratamento mais eficaz. Intervenção precoce permite vigiar crescimento e desenvolvimento, prevenindo problemas graves mais tarde.  Quando a intervenção ortodôntica não é necessária um ortodontista pode acompanhar atentamente o crescimento e desenvolvimento e iniciar o tratamento quando achar que é o momento certo.

 

Porque é aos 7 anos o momento ideal para iniciar a avaliação ortodôntica?

Aos 7 anos, o primeiro molar erupciona, estabilizando a mordida. Durante este período o ortodontista pode avaliar as relações dentárias. Por exemplo, a presença da erupção dos dentes incisivos pode indicar possíveis situações de overbite, mordida aberta, apinhamento  ou “sorriso gengival”. Um rastreio oportuno aumenta as possibilidades de um sorriso bonito.

 

A nossa filosofia é: " longos periodos de observação e pequenos momentos de intervenção."

 

Quais são as vantagens do tratamento interceptivo?

 

Alguns dos resultados mais directos do tratamento interceptivo são os seguintes:

 

- criação de simetria facial, através da influência do crescimento da mandíbula

- reduzir o risco de trauma  em dentes da frente salientes

- criação e/ou preservação o espaço para os dentes não erupcionados

- reduzir a necessidade de remoção de dentes

- reduzir o tempo de tratamento com o aparelho

 

© 2014 by Marcus Veiga